quarta-feira, 13 de julho de 2016

Semed e Unir discutem parceria pró educação do campo




Uma conversa entre professores e acadêmicos da Universidade Federal de Rondônia, Unir-Campos Rolim de Moura, e a secretária de Educação de Ji-Paraná, Leiva Custódio Pereira esta semana, na Secretaria Municipal de Educação (SEMED) pode resultar em uma ótima parceria em prol da educação do campo. Os representantes do curso de Licenciatura em Educação do Campo, oferecido pela universidade em Rolim de Moura se disseram atraídos pela proposta pedagógica do Projeto Educampo, vendo-o, até, como uma alternativa à educação do campo no Estado.
Fernando Vitório, professor doutor, e Marcia Maria, professora doutora, ambos do curso de Licenciatura em Educação do Campo em Rolim de Moura disseram que há muito tinham a intenção de vir a Ji-Paraná para saber mais sobre o Projeto Educampo, implantado em duas escolas rurais da Rede Municipal, mas que por motivos diversos somente agora puderam marcar a reunião, principalmente, por ocasião do convite que queriam fazer para que uma equipe da Semed de Ji-Paraná pudesse participar do 2º Seminário da Licenciatura de Educação do Campo: Educação do Campo – Desafios e Perspectivas, a ser realizado em setembro próximo em Rolim de Moura.
Fernando e Marcia se mostraram encantados com os primeiros resultados do Projeto Educampo, exposto pelo presidente da Comissão de Implantação do Projeto, Renato Eberson de Souza, pela coordenadora da Educação do Campo da Semed, Janete Araújo Pereira, pelas professoras Nilda Pereira e Maria de Lourdes Ferreira e pela própria secretária.
A proposta pedagógica de uma didática diferenciada para a educação do campo, segundo os doutores da Unir, vem ao encontro, justamente, do que deverá ser debatido no seminário em setembro, que deverá tratar das políticas recém apresentadas pelo Governo do Estado com relação à educação do campo.
“A ideia recorrente entre os acadêmicos do curso de Educação do Campo e de professores é o enfrentamento do que tem sido colocado pelos representantes do governo estadual, como o fechamento de escolas rurais e a adesão ao Projeto Ensino Médio com Mediação Tecnológica. Mas não adianta só criticar, alternativas precisam ser colocadas e o projeto Educampo pode ser uma alternativa real”, explicou Marcia Maria, sobre a participação de Ji-Paraná no seminário em Rolim de Moura.

Parceria
Mas a conversa não ficou apenas em torno do seminário, foi além. Discutiu-se a possibilidade de uma aproximação maior entre Universidade e o Projeto Educampo. Professores e secretária foram unanimes em destacar os benefícios que uma parceria entre ambos poderia resultar. Se por um lado a Universidade, como detentora do conhecimento acadêmico, pode legitimar a prática do que tem sido realizado no Projeto, toda a experiência que tem sido acumulado pelos atores envolvidos no Educampo podem contribuir com a legitimação da prática pedagógica da Universidade.

Multisseriado
Outro tema controverso discutido na reunião foi a possibilidade da utilização do sistema de classes multisseriadas nas escolas do campo, forma de organização de ensino em que o educador trabalha na mesma sala de aula com alunos de diferentes idades e níveis educacionais. Condenada por uns e defendida por outros, as classes multisseriadas surgiria como alternativa para viabilizar a educação do campo, “melhor”, segundo os doutores da Unir, “que uma educação mecanizada e distante da realidade local como se desenha nas propostas do Estado”.
“Minha educação foi em classes multisseriadas. Minha mãe foi professora por 30 anos de classes multisseriadas. Não é possível que esta prática seja tão ruim assim que seja descartada como alternativa ao fechamento de escolas nas áreas rurais”, defendeu, veementemente, o doutor Fernando Vitório.

Especialização
Fez parte da pauta de discussão a possiblidade de uma parceria também no sentido de capacitar melhor os profissionais que estão envolvidos no Projeto Educampo, se possível, com a oferta de mestrado na área de Educação do Campo. De acordo com a doutora Márcia Maria, o curso de Licenciatura em Educação do Campo da Unir Rolim de Moura já tem aventado essa possibilidade, bastando agora discutir em que condições poderia ser firmada essa parceria num próximo encontro.

“Sinto a necessidade de nossos professores em se aprofundar mais na questão pedagógica, acadêmica mesmo da educação do campo. Eles, e aí digo todos que estão participando do Projeto, estão vivenciando tanta coisa nova e bonita e seria realmente uma lástima não aproveitar esse momento. Precisamos transformar toda essa experiência em uma base educativa”, concluiu Leiva Custódio, que deve ir à Capital ainda esta semana para buscar parceria com a Universidade relacionada à especialização stricto sensu (mestrado e doutorado).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agenda SEMED 2018